A Literatura Brasileira está viva!

Nasce um novo Manuel Bandeira

O mês de outubro de 2009 vai ficar na história da Literatura Brasileira. Esta semana foi publicado em São Paulo, Capital, o livro do Poeta e Escritor recifense Roberto Belo, um dos mais jovens literatos pernambucano que abraçou a difícil tarefa de escrever, mas precisamente prazerosa.
O livro A Arca da Desigualdade, dos Sentimentos e da Luxúria é impressionante porque foi escrito em versos, gênero não muito divulgado, e traz fortes laços dos grandes poetas do nosso Modernismo, como se o autor estivesse vivido com aqueles escritores também de vanguarda, mas escrevesse os atos da sociedade presente, do século XXI.
Talvez Roberto Belo tenha mesmo reencarnado muito daqueles artistas da palavra, apesar dele englobar todas as demais artes como a música, o teatro... enfim, a profissão de cada um dos cidadãos brasileiros:professores,lavadeiras,atores,políticos e por aí vai.Daí a importância histórica,social e literária do material apresentado.
Não é à toa que a obra foi aprovada por algumas das maiores autoridades vivas no assunto, como a carioca Roseana Murray, que tem mais de 50 livros de sucesso publicados na área e o paulistano Ulisses Tavares, que já vendeu mais de 10 milhões de exemplares apenas nesse gênero.
Roberto Belo, na verdade, trabalha e se vislumbra para nos mostrar que as velhas paixões humanas ainda nos movem e nos fascinam. E É através de pequenas mensagens que o livro ajuda a aflorar a esperança da nossa auto-realização, desmistificando a inquietação do homem ante a preocupação com o social.

Um comentário:

  1. Esse texto foi um Comunicado de Imprensa divulgado em 05/10/2009 na imprensa.

    ResponderExcluir